A reinterpretação do sebastianismo em Fernando Pessoa

Main Article Content

Monika Świda

Abstrakt

The present paper depicts alterations undergone by the sleeping king motif (sebastianism) in the writings of Fernando Pessoa. The data to conduct the study were collected in thematic anthologies and several unpublished pieces. The myth of the King Sebastian was given a congregational dimension by Pessoa, thus conveying his cultural and identity project subsumed under the metaphor of the spiritual empire. Pessoa introduces some readjustments in the way the historical king is to be conceived of. In his theory, Sebastian becomes the figure of the individual effort on the way towards the national renewal. The messianic character of D. Sebastião is defeated in this theory despite having been associated with the figures of either Jesus or the Antichrist. The messiah of the Portuguese foundation myth is replaced with the idea of great man and the task to be carried out in this field, included the metaphor of the Fifth Empire, gains a cultural character. That is why Pessoa’s theories must no longer be interpreted in messianic terms. The Pessoa’s transformations of the sebastianism analyzed in this article are the starting point for the new national narration in the poetic cycle of "Mensagem".

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

Dział
ESTUDOS LITERÁRIOS

Referencje

  1. Almeida, Onésimo Teotónio (1987): «Mensagem» – uma tentativa de reinterpretação. Angra do Heroísmo: Direcção Regional dos Assuntos Culturais.
  2. Almeida, Onésimo Teotónio (1993): «A ideologia da Mensagem». In: F. Pessoa, Mensagem. Poemas esotéricos. Edição crítica, ed. J.A. Seabra. Madrid 1993: Coleção Archivos. Fundação eng. A. Almeida, 329-336.
  3. Alves, José Edil de Lima (1993): «A moderna épica portuguesa em Mensagem». In: F. Pessoa, Mensagem. Poemas esotéricos. Edição crítica, ed. J.A. Seabra. Madrid: Coleção Archivos. Fundaçãoeng. A. Almeida, 246-257.
  4. Azevedo, António (2005): Pessoa e Nietzsche. Subsídios para uma leitura intertextual de Pessoae Nietzsche. Lisboa: Instituto Piaget.
  5. Bhabha, Homi K. (2007): «Introduction: Narrating the nation». In: Nation and Narration, ed. H.K. Bhabha. London: Routledge.
  6. Bloom, Harold (1997) [1973]: The Anxiety of Influence. The Theory of Poetry. Oxford New York: Oxford University Press.
  7. Coelho, Jacinto do Prado (1983): Camões e Pessoa, poetas da utopia. Lisboa: Europa-América.
  8. Costa, Dalila L. Pereira da (1971): O esoterismo de Fernando Pessoa. Porto: Lello & Irmão.
  9. Costa, Dalila L. Pereira da (1993): «A mensagem messiânica». In: Fernando Pessoa, Mensagem. Poemas esotéricos. Edição crítica, ed. J.A. Seabra, Madrid: Coleção Archivos. Fundação eng. A. Almeida, 259-279.
  10. Coutinho, Jorge (1995): O pensamento de Teixeira de Pascoaes. Estudo hermenêutico e crítico. Braga: Publicações da Faculdade de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa.
  11. Cusatis, Brunello de (2005): Esoterismo, Mitogenia e Realismo Político em Fernando Pessoa. Umavisão do conjunto. Porto: Edições Caixotim.
  12. Frias, Eduardo (1971): O Nacionalismo Místico de Fernando Pessoa. Braga: Pax.
  13. Lopes, Teresa Rita (1993): «Mensagem de uma vida». In: Fernando Pessoa, Mensagem. Poemas esotéricos. Edição crítica, ed. J.A. Seabra. Madrid: Coleção Archivos. Fundação eng. A. Almeida, 344-353.
  14. Mendes, Luísa Maria Bernardino de Medeiros de Brito (2004): O Quinto Império de Fernando Pessoa ou a criação literária em língua portuguesa. Tese de doutoramento não publicada, Lisboa.
  15. Moisés, Carlos Felipe (1979): «Fernando Pessoa – sonho e realidade», Persona n.o 3, Porto: Centro de Estudos Pessoanos, 61-68.
  16. Pascoaes, Teixeira de (1988): A Saudade e o Saudosismo. Dispersos e opúsculos. Lisboa: Assírio & Alvim.
  17. Pessoa, Fernando (1979): Sobre Portugal. Introdução ao problema nacional, introdução e organização J. Serrão. Lisboa: Ática.
  18. Pessoa, Fernando (1979): Da República (1910-1935), recolha de textos M.I. Rocheta, M.P. Morão, introdução e organização J. Serrão. Lisboa: Ática.
  19. Pessoa, Fernando (1980): Ultimatum e páginas de sociologia política, recolha de textos M.I. Rocheta, M.P. Morão, introdução e organização J. Serrão. Lisboa: Ática.
  20. Pessoa, Fernando (1993): Pessoa Inédito, coordenação T. Rita Lopes. Lisboa: Livros Horizonte.
  21. Pessoa, Fernando (1996): Páginas íntimas e de auto-interpretação, textos estabelecidos e prefaciados por G. R. Lind e J. do Prado Coelho. Lisboa: Ática.
  22. Pinto, António Costa (1996): «Modernity versus Democracy? The Mystical Nationalism of Fernando Pessoa», separata de The intellectual revolt against liberal democracy 1870-1945. Internationa Conference in Memory of Jacob L. Talmon. Jerusalem, 343-355.
  23. Pires, António Machado (1982): D. Sebastião e o Encoberto. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
  24. Quadros, António (1989): A ideia de Portugal na literatura portuguesa dos últimos 100 anos. Lisboa: Fundação Lusíada.
  25. Quadros, António (2001): Poesia e filosofia do mito sebastianista. Lisboa: Guimarães Editora.
  26. Sadlier, Darlene J. (1998): Nationalism, Modernism, and the Formation of Pessoa’s Aesthetics. In: D.J. Sadlier, An introduction to Fernando Pessoa: Modernism and the Paradox of Authorship. Gainsville: University Press of Florida, 27-47.
  27. Seabra, José Augusto (1980): «Camões, Pascoaes, Pessoa – ou o mito poético da «Nova Renascença», Nova Renascença, Porto, n.o 1, 23-31.
  28. Serrão, Joel (1981): Fernando Pessoa, Cidadão do Imaginário. Lisboa: Livros Horizonte.
  29. Siewierski, Henryk (1982): «Mito e verdade na Mensagem de Fernando Pessoa». Separata do Boletim Cultural da Assembleia Distrital de Lisboa, III Série, Lisboa, n.o 88, tomo 2.
  30. Siewierski, Henryk (1998) «Orędzie Fernanda Pessoy». In: H. Siewierski, Jak dostałem Brazylię w prezencie. Kraków: Universitas, 30-43.
  31. Tavares, José Fernando (2002): Fernando Pessoa: da razão histórica à utopia teológica. Introdução a uma teoria da história. Lisboa: Instituto Piaget.
  32. Teixeira, Luís Filipe B. (1993): «A Mensagem ou o “espírito da utopia” como paradigma pessoano». In: Fernando Pessoa, Mensagem. Poemas esotéricos. Edição crítica, ed. J.A. Seabra. Madrid: Coleção Archivos. Fundação eng. A. Almeida, 314-328.
  33. Vieira, António (1992): História do futuro, introdução, actualização do texto e notas por M.L. Carvalhão Buescu. Lisboa: INCM.